Rádio Caiari 1430 AM

Zapatillas nike zapatillas reebok nike air max blancas ropa abercrombie gafas ray ban zapatillas under armour gafas de sol ray ban Gafas carrea new balance hombre botas futbol zapatillas asics new balance mujer zapatos casuales Zapatillas air jordan nike sb nike corte

notícias

17/02/2017

Produção de flores na zona Leste de Porto Velho começa abastecer também o Acre e a Ceasa paulistana

O representante da empresa de capital holandês, Van Leeuwen, duvidava que o amor-perfeito se desenvolvesse a contento em Porto Velho.

– Não dá? Vem aqui ver – desafiou-lhe o produtor Sylvio Cézar Romera.

– Na outra semana vou aí – prometeu-lhe o funcionário.

E foi, deparando-se com o sistema de adubação e cultivo dessa e de outros 180 tipos de flores. Disse-lhe, então:

– Acreditem, vocês têm tudo para se tornarem os maiores produtores de flores do Norte do Brasil.

A persistência do casal Sylvio Romera e Graciele Auxiliadora Souza de Oliveira, proprietários da Rondoflores, resultou em modelo eficaz de produção numa chácara da zona Leste. Ele é técnico agrícola, ela formou-se em administração.

A Empresa Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) tem contribuído na formulação de cadastro bancário, histórico de empresas e de agricultores familiares da zona Leste da capital. Seus estudos são também enviados ao Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), em Brasília, para a obtenção de financiamentos.

A variedade de amores-perfeitos é muitas vezes descrita como flores com rostos. Suas pétalas ficam retas e formam um padrão que lembra uma face. Embora venham em várias cores – roxo, dourado, laranja e violeta – essencialmente há dois tipos: os de uma só cor sólida e os de centro escuro com bordas mais claras.

São plantas bienais, florescem duas vezes e vivem até dois anos, entretanto, costumam ser tratadas como anuais. Graciele elogia: “É uma flor resistente quando plantada em vasos, ou entre outras flores de primavera, como as tulipas. Já a rosa do deserto desperta paixão nas pessoas.”

O COMEÇO COM R$ 1 MIL

Para iniciar o negócio “com a cara coragem”, na chácara de sete hectares, conforme suas palavras, Sylvio tomou emprestados do sogro R$ 1 mil. Nem passou pela porta do banco. Com a renda que foram conseguindo, ele e Graciele adquiriram mangueiras, sombrite, torneiras, estufas e custearam pessoal e energia elétrica.

Apenas três mini estufas abrigavam as primeiras sementes e mudas. “Quando chovia, a gente corria e baixava o plástico para não estragar a planta. Não havia energia elétrica, apenas água de poço”, conta Sylvio Romera.

E assim sucederam-se dez meses de árduo trabalho até que eles instalaram os primeiros equipamentos e perfuraram um poço artesiano.

Atualmente, 600 mil mudas de flores se desenvolvem nas estufas irrigadas diariamente por um sistema individual de gotejamento que também distribui o adubo.

Nos canteiros começam a vicejar flores para o Dia das Mães, comemorado no segundo domingo de maio. Graciele de Oliveira garante: “Sempre vendemos toda a produção”.

A empresa consolidou seu mercado em Porto Velho fornecendo diretamente para os supermercados, inclusive de Rio Branco (AC), e alguns compradores estabelecidos na Central de Abastecimento S/A (Ceasa) em São Paulo.

Em vasilhames a partir de R$ 5 até R$ 50, a Rondoflores abastece supermercados com vasos e potes assim numerados: 11, 15, 20 e 30; e por unidades, aos viveiros.

Graciele lembra que em maio do ano passado, vendedores da Ceasa, da Floricultura Holambra e de empresas de Campinas (SP) vieram conhecer a chácara, onde o expediente de trabalho também acontece aos sábados e domingos.”No momento somos poucos, e as atividades são muitas”, ela comentou.

IXÓRIA E ROSA DO DESERTO

A produção de ixória, que tem quatro variedades e enfeita os canteiros da avenida Jorge Teixeira e a praça do Palácio Rio Madeira (sede do governo estadual) e diversos espaços na capital, produz apenas quatro meses para crescer em território paulista. Já em Porto Velho sua safra ocorre o ano todo.

A ipatins nasce em oito cores diferentes. A rosa do deserto também. Tem do branco ao vinho escuro e diferentes tons de rosa e vermelho. Muitas variedades apresentam mesclas e degrades do centro em direção as pontas das pétalas. Existem ainda variedades de flores dobradas, triplas, quádruplas e quíntuplas. É herbácea, suculenta, de aspecto escultural e floração exuberante, e suas plantas adultas variam de dois a 15 anos de idade.

Para dar conta de manter o atual volume, a empresa precisa de capital, “pelo menos R$ 100 mil”, conforme estimou Sylvio Romera.

O Banco da Amazônia S/A (Basa) autoriza financiamentos, desde que os chacareiros sejam titulares dos lotes. A propriedade legalizada proporcionaria mais empregos, alertam os proprietários.

“Já tivemos 16 funcionários, hoje estamos com quatro, e o ideal para dar conta dessa estrutura são no mínimo 50”, ele comenta.

A necessidade de ampliar o quadro de pessoal é grande. Exemplo disso são as cortinas das estufas, que são fechadas manualmente ao entardecer e os cuidados que se deve ter com o chamado fotoperíodo, porque algumas plantas germinam e crescem melhor em dias longos e noites longas.

A Emater oferece cinco anos de assistência técnica para todos os empreendimentos beneficiados pelo crédito fundiário. “Sempre prevendo que os programas nacionais de aquisição de alimentos e de alimentação escolar sejam clientes em potencial; basta ver a lei determinando que 30% devem sair da agricultura familiar”, lembra o gerente.

COMO ESTÁ O MERCADO NACIONAL

Em média, a floricultura comercial brasileira cresceu 10% no período de 2008 a 2011, nas quantidades ofertadas, e 15% ao ano em valor de vendas.

Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio à Pequena e Média Empresa (Sebrae), em 2013, o mercado nacional de plantas e flores ornamentais movimentou R$ 5,22 bilhões, com taxa de crescimento de 8,3% em relação ao faturamento total auferido no ano anterior.

Segundo o Instituto Brasileiro de Flores (Ibraflor), somente em datas comemorativas o setor surpreende a cada evento. Assim, em 2015 o comércio de flores faturou R$ 6 bilhões, enquanto em 2014 chegava a R$ 5,7 bilhões.

A Rondoflores cultiva, entre outras: alecrim, arruda, calandiva, cebolinha, cidaria cravina, coleus, coentro, crisântemo, erva-doce, hortelã, impatins, ixória (mini, média e africana), lantana, manjericão, menta, orégano, pimenta, rabo de gato, rosa do deserto e sálvia.

Fonte

Texto: Montezuma Cruz

Fotos: Daiane Mendonça

Secom - Governo de Rondônia

?2017 Rádio Caiari 1430 AM - H?50 anos no coração da gente! | Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:Agência Expression | Criação e Desenvolvimento de sites e lojas virtuais
replica watches ukrolex replica salefake watchesrolex replica ukfake rolex salereplica watches
Kleid Sportschuhe adidas schuhe adidas schuhe nike schuhe schmuck nike schuhe damen Taschen sonnenbrille Chaussure nike chaussure sport sac a main nike chaussure adidas chaussure lunette de soleil Vetement Chaussure adidas