Porto Velho, 14 de dezembro de 2019
Home > Boletim 103,1 > Mais de 150 pacientes passaram pela triagem no primeiro dia da Operação Sorriso

Mais de 150 pacientes passaram pela triagem no primeiro dia da Operação Sorriso

Começou na segunda-feira (2), no Hospital Santa Marcelina, em Porto Velho, a 6ª missão da Operação Sorriso, desta vez com o objetivo de realizar 55 cirurgias para correção de lábio leporino e fenda palatina. Durante todo o dia, mais de 150 pacientes irão passar pela triagem.

No decorrer de uma semana de atendimentos, cerca de 70 profissionais realizarão as cirurgias, consideradas mais complexas. “Nossa meta é realizar 55 cirurgias, mas podemos ultrapassar esse resultado, isso porque com o trabalho realizado pelo Núcleo de Fissurados de Rondônia, que já iniciou algumas cirurgias desde o inicio ano, teremos chances de operar mais pacientes”, destacou o diretor executivo da Operação Sorriso, Charles Rosenburst.

Leia Corina Rodrigues, mãe da pequena Gabriela Vitória Rodrigues, 1 ano, conta que a criança fez a primeira cirurgia de lábio palatina aos seis meses de idade, através do Núcleo de Fissurados de Rondônia, (Nufis), com o cirurgião Alexei Andrade, que desde o início do ano vem realizando esse trabalho no Hospital de Base Ary Pinheiro. “Hoje viemos participar da seleção para fazer a cirurgia da fenda palatina. O bom de tudo é que não precisei sair do Estado para fazer a primeira cirurgia, e minha filha fez na idade ideal”, disse a mãe de Gabriela Vitória.

NÚCLEO DE FISSURADOS

De acordo com cirurgião Alexei Andrade, durante ano de 2019, foram realizadas 26 cirurgias (novos casos) e todos estão participando da seleção para fazer o retorno. Estes pacientes estão cadastrados no Núcleo de Fissurados para serem acompanhados e realizarem a cirurgia na missão este ano ou no próximo. “A criação do Nufis foi uma mudança de paradigma. Essas crianças tinham que sair para outros estados porque não tinham essas cirurgias aqui. Um fato que observamos é que muitos pacientes já estão na adolescência e adultos, e nunca foram operados porque na ocasião seus pais não tinham como ir pra fora, ainda que o Estado arcasse com os custos do tratamento fora do domicílio”.

Ele explicou que, por convenção, cada Estado deve oferecer tratamento ao paciente fissurado, com abordagem multidisciplinar com acompanhamento de dentista, fonoaudiologia e outros serviços na área de saúde. “E nós estamos caminhando neste sentido. Em 2020, vamos capacitar nosso centro com outros profissionais pra que eles possam dar complemento às cirurgias realizadas, além de ser um preparo para aquelas que ainda serão realizadas”, destacou o cirurgião.

Ricardo da Silva Nascimento tem 25 anos, realizou a primeira cirurgia em São Paulo e está participando da seleção para o reparo no nariz, por conta da fissura bio lateral. Para o caso dele, falta fechar a gengiva. “Quando comecei a fazer o tratamento, não tinha atendimentos aqui no Estado, agora que tem, estou correndo atrás. Ainda preciso fazer o enxerto da gengiva, acredito que a cirurgia do nariz irei fazer aqui pela Operação Sorriso”, disse o rapaz.

A Operação Sorriso é realizada uma vez por ano em Rondônia, geralmente no mês de dezembro, mas este ano, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) vem realizando as cirurgias menos complexas através do Nufis. “Desde o mês de abril, nossas equipes vem operando pacientes de todo o Estado, no Hospital de Base. Então as pessoas que, por acaso, não conseguirem realizar os procedimentos pela Operação Sorriso podem procurar o Núcleo, que a partir do ano que vem as cirurgias voltarão a ser realizadas pelo especialista Alexei e sua equipe”, destacou o secretário Fernando Máximo.

Fonte
Texto: Sângela Oliveira
Fotos: Ítalo Ricardo
Secom – Governo de Rondônia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *