“Desejo que cada arqui/diocese do Brasil possa experimentar e promover o protagonismo juvenil na construção de uma Igreja em saída chamada à civilização amor, propondo o Evangelho da Alegria!”

A Igreja no Brasil celebra neste domingo, 27 de outubro, o Dia Nacional da Juventude (DNJ). Dioceses, grupos de Pastoral Juvenil e movimentos estarão mobilizados em eventos para a celebração da data. Neste ano, o tema proposto é “Juventude e políticas públicas: uma história nos chama à civilização do amor”. Para o bispo de Valença (RJ) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Nelson Francelino, os grupos jovens são chamados a ser portadores de uma profecia “diante da sociedade cada vez mais perdida em assuntos humanitários”.

Na busca pela construção da civilização do amor, os jovens são chamados a envolverem-se na elaboração, proposição e no acompanhamento de políticas públicas, inspirados nas motivações da Campanha da Fraternidade deste ano. “Desejo que cada arqui/diocese do Brasil possa experimentar e promover o protagonismo juvenil na construção de uma Igreja em saída chamada à civilização amor, propondo o Evangelho da Alegria!”, enfatizou dom Nelson.

Em artigo publicado no site Jovens Conectados, dom Nelson aponta como realidade a ser tocada a sociedade globalizada, “onde há uma inevitável mudança de valores, do aumento do individualismo, do sexo desenfreado, do fundamentalismo, da violência e do extermínio de jovens e de perdas de referenciais”.

Uma preocupação do bispo é a violência, que “nos últimos anos aniquilou de várias maneiras a existência juvenil no Brasil” e que tem “a juventude como agente e vítima simultaneamente”. Drogas, trânsito, doenças sexualmente transmissíveis, suicídio são sinais do que é considerado o extermínio dos jovens.

“As ações são tímidas e as vozes proféticas na Igreja, dos grupos jovens em nossas dioceses, não são ouvidas! A injustiça está batendo à porta e não se faz nada. Enquanto houver injustiça entre nossos jovens, jovens pobres e sem oportunidade, o Reinado da Vida não acontecerá. E a Civilização do amor será apenas um sonho que não mais encanta”, lamenta o bispo.

Para dom Nelson, a civilização do amor colocada no horizonte das iniciativas da Pastoral Juvenil, sobretudo por ocasião de várias edições do DNJ, faz com que os jovens resgatem o compromisso, a militância e a atenção quanto ao drama social que a juventude de modo geral vem enfrentando.

Algumas dioceses já celebraram o DNJ em outras datas.

Confira a programação pelo Brasil

Fonte: CNBB

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar Mensagem
Estamos Online
Rádio Caiari
Olá 👋
Como podemos ajudar?