Na tarde dessa terça-feira, 30, em coletiva realizada na sala de imprensa do Centro de Eventos Centro de Eventos Padre Vitor Coelho de Almeida, em Aparecida (SP), o arcebispo de Curitiba (PR) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética, dom José Antonio Peruzzo falou do Documento de Estudos 114 da CNBB, intitulado “E a Palavra habitou entre nós” (Jo 1,14).

O texto, refletido pelo episcopado brasileiro durante a 59ª edição da Assembleia Geral (AG), que ocorre desde o último domingo, dia 28, e segue até sexta-feira próxima, dia 2 de setembro, recebeu especial atenção entre os jornalistas credenciados e, após estudos dos bispos ao longo da semana, será aprovado como Documento da Conferência Episcopal. 

Dom Peruzzo, como é conhecido o presidente da Comissão Episcopal, explicou que a atual animação bíblica da pastoral, desde o pontificado do papa emérito Bento XVI que, em 2010, por meio da Exortação Apostólica Pós-sinodal Verbum Domini, motivou que toda a Igreja tenha a Palavra de Deus como fonte de todo o apostolado. A inspiração bíblica, então, “torna-se um modo ser Igreja”, ressaltou. 

Para a compreensão comum do estudo eclesial e do esforço da Comissão em sua elaboração, o bispo afirmou que o vocábulo ‘animação’ não é uma mera motivação, mas vinda ´da alma´, como indica a etimologia da palavra, faz com que “a Palavra de Deus seja a base de toda a pastoral”. Sobre essa iniciativa, dom Peruzzo afirmou que “chegou o tempo de uma revisão de nossas atividades bíblicas, não para corrigir, mas para redescobrir aquilo que foi mais forte nas décadas passadas”.

Por isso, o arcebispo de Curitiba indicou que os círculos bíblicos, as leituras populares da Bíblia e inúmeras iniciativas que, há anos espalharam a Palavra de Deus Brasil afora, não foram métodos meramente humanos, “mas uma inspiração do Espírito Santo que, em meio ao nosso povo, levou a Palavra de Deus aos fiéis e às comunidades de todo o país”, completou. 

Numa explicação, dom Peruzzo comparou a centralidade bíblica de toda a ação evangelizadora da Igreja como uma jovem que, ao receber uma carta de seu amado, “lê, sorri, se encanta e beija o papel”, e continuo dizendo que o afeto dele tornou-se letra à amada. Do mesmo modo, explicou o bispo, “a ternura de Deus perpassou os séculos e, tornando-se letra bíblica, fortalece toda a vida pastoral de nossa Igreja”, e finalizou: “com a Palavra de Deus, e por ela, queremos aprovar este texto para a animação de nossas comunidades”.

Fonte: CNBB

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar Mensagem
Estamos Online
Rádio Caiari
Olá 👋
Como podemos ajudar?