Por ocasião do Dia Mundial do Enfrentamento a Exploração Sexual e ao Tráfico de Mulheres e Crianças, dia 23 de setembro, a Comissão Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano (CEPEETH) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou uma série de cards para estimular o compartilhamento em diversos espaços e redes sociais da Igreja no Brasil.

A proposta, segundo a Comissão, é sensibilizar e ampliar ao máximo possível a consciência sobre o tema e  estimular a organização de ações tendo em vista o combate das práticas.  “Mais um dia para alertar sobre o tráfico de pessoas, uma prática antiga que acontece até os dias atuais. Não podemos esquecer que muitos dos nossos ancestrais foram traficados no período de colonização e as consequências são traumáticas em nossa história social e cultural”, informou em seu comunicado.

O dia 23 de setembro, para a Comissão Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano da CNBB, é o dia para conscientizar a sociedade da exploração sexual e o tráfico de mulheres e crianças. A data foi definida no ano 1999 na Conferência Mundial de Coligação contra o Tráfico de Mulheres, realizada na Argentina com a participação de diversas representações mundiais.

Ações de capacitação e Disque 100  

A Comissão chama a atenção que ações para esta modalidade de prática acontecem de forma silenciosa e perversa. No Brasil, a prática é crime e pode ser denunciada por meio do Disque Direitos Humanos – Disque  100 mantido pelo Governo Federal. “O combate a este crime é compromisso de toda a sociedade para garantir a dignidade de mulheres e crianças que se encontram em situações vulneráveis.  A cultura do cuidado protege vidas”, aponta o informe da comissão.  

Além da divulgação, a Comissão também tem se esforçado para ampliar a articulação para o enfrentamento a esta questão na Igreja no Brasil. Para tanto, vai realizar os seminários de Capacitação e Mobilização no Enfrentamento do Tráfico de Pessoas, dia 24 de setembro, para lideranças do regional Sul 1, em São Paulo, e de 21 a 23 de outubro, para o regional Norte 3, que compreende o Estado do Tocantins.

São convidados para estas capacitações, bispos, sacerdotes, coordenadores (as) diocesanos de pastoral, coordenadores das Pastorais Sociais dos regionais, lideranças defensoras dos Direitos Humanos e da Rede de Proteção às Crianças, Adolescentes e Mulheres.

Igreja no Brasil e o combate ao tráfico humano

O Tráfico de Pessoas é realidade, um crime muito vezes invisível na sociedade e como afirma o Papa Francisco “uma ferida aberta no corpo da humanidade, no corpo de Cristo”. Desde o início dos anos 2000, a Igreja do Brasil, com seu compromisso de promover e defender a vida dos que sofrem, tem gradativamente assumido o enfrentamento a essa chaga social como um compromisso pastoral.

A partir de 2014, com a Campanha da Fraternidade, que teve como tema: “Fraternidade e o Tráfico Humano” e o lema: “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5, 1), este compromisso se intensificou e a CNBB criou a CEPEETH. A Comissão tem o objetivo de seguir atuando na sensibilização e capacitação de multiplicadores e multiplicadoras nos regionais para o enfrentamento desta triste realidade.

Para acessar os cards e materiais clique aqui

Para denúncias: Disque 100

Por: CNBB

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Enviar Mensagem
Estamos Online
Rádio Caiari
Olá 👋
Como podemos ajudar?