/ NO AR /
(69) 99321-8279
Porto Velho, 28 de novembro de 2021 - 19h18
Home > Notícias da Igreja > Mundo > Bolívia-Alemanha: “Semana da Fraternidade” pelo cuidado da Criação e justiça climática

Bolívia-Alemanha: “Semana da Fraternidade” pelo cuidado da Criação e justiça climática

O tema comum da proteção ambiental e justiça climática une duas Igrejas locais tão diferentes e distantes uma da outra. Em nome deste tema comum, paróquias e fiéis de ambos os países se comprometem lado a lado. Bispos de ambos os países pediram aos políticos que “finalmente tomassem medidas eficazes para deter a mudança climática, porque estamos realmente queimando o futuro de nossos filhos e filhas”. “Um crime contra a natureza é um crime contra nós mesmos e um pecado contra Deus”, afirmam eles

Ouça a reportagem e compartilhe!

Celebra-se até este domingo, 3 de outubro, na Bolívia e na Alemanha, a “Semana da Fraternidade”. Iniciada no dia 26 de setembro, a Semana tem como o lema “Cuidar da Criação: um sinal do amor de Deus”.

O tema comum da proteção ambiental e justiça climática une duas Igrejas locais tão diferentes e distantes uma da outra. Em nome deste tema comum, paróquias e fiéis de ambos os países se comprometem lado a lado.

Intercâmbio de voluntários entre as Igrejas particulares

A relação entre estas duas Igrejas particulares é reforçada também pelo intercâmbio de voluntários: a diocese alemã de Hildesheim acolhe atualmente quatro jovens bolivianos que permanecerão na Alemanha por um ano, trocando experiências e testemunhos com os fiéis locais.

Além disso, no campo ecológico, as Igrejas dos dois países também estão trabalhando juntas para conscientizar as pessoas sobre a importância de proteger o meio ambiente e os recursos hídricos, e de reduzir a poluição e o efeito estufa.

Jovens alemães e bolivianos na Amazônia

Ademais, em agosto de 2022, 16 jovens alemães e 16 jovens bolivianos trabalharão juntos na Amazônia para desenvolver projetos ecológicos concretos e para refletir sobre sua tarefa de dar sustentação aos cuidados da Casa comum. Também está na agenda uma maior cooperação com universidades e atores da sociedade civil para promover o tema da salvaguarda da Criação.

Vale a pena mencionar que em 24 de setembro, por ocasião da greve global em favor do clima, os bispos de Hildesheim, Treviri e da Bolívia emitiram uma declaração conjunta na qual pediam aos políticos que “finalmente tomassem medidas eficazes para deter a mudança climática, porque estamos realmente queimando o futuro de nossos filhos e filhas”.

Deter ou retardar as consequências do aquecimento global

Preocupados com a crescente ameaça ao meio ambiente que põe em perigo a sobrevivência da humanidade, os prelados apelaram a todo o povo de Deus a fim de deter ou retardar as consequências do aquecimento global que “constitui a maior ameaça aos meios de sustento, e assim se torna um sério desafio à nossa responsabilidade para com a Criação”.

Além disso, as três Igrejas da Bolívia, Treviri e Hildesheim enfatizaram que “só nos resta uma década para deter ou retardar as consequências do aquecimento global, conscientes de que os piores impactos recairão, nas próximas décadas, sobre os países em desenvolvimento, pois seu sustento depende das reservas naturais e do ecossistema”.

Mudar estilos de vida, tanto pessoais quanto paroquiais

“Um crime contra a natureza é um crime contra nós mesmos e um pecado contra Deus”, acrescentaram os prelados. “É nosso dever como cristãos fazer mudanças em nossos estilos de vida, tanto pessoais quanto paroquiais, para reduzir as emissões de gases de efeito estufa.”

Daí, a exortação final dos bispos dos dois países a “políticas urgentes para reduzir drasticamente as emissões de dióxido de carbono e para desenvolver energias renováveis e limpas”.

Fonte: Vatican News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *