sábado, outubro 24, 2020
Home > Notícias da Igreja > Papa > Papa Francisco doa respiradores para hospital no Malawi

Papa Francisco doa respiradores para hospital no Malawi

Ao agradecer ao Papa pela doação, a diretora do Hospital Missionário Likuni, Irmã Agnes Lungu, disse que os ventiladores chegam na hora certa a uma área, a dos arredores de Lilongwe, que está totalmente desprovida deles.

A lista de doações do Papa Francisco e de seus colaboradores aos países e às populações mais vulneráveis ​​do mundo na atual emergência Covid-19 continua a crescer.

O Núncio Apostólico no Malawi e na Zâmbia, Dom Gianfranco Gallone, doou ventiladores pulmonares ao Hospital Missionário Likuni em Lilongwe. Localizado a 9 quilômetros da capital e com 231 leitos, o hospital é administrado pelas Irmãs Missionárias de São Francisco de Assis e atende 45.000 pacientes todos os anos, em sua maioria agricultores e pequenos comerciantes de baixa renda.

Os ventiladores – segundo relata o blog da Amecea, Associação das Conferências Episcopais da África Oriental – foram entregues à estrutura de saúde pelo arcebispo de Lilongwe, Dom Tarcisius Ziyaye, presidente do Secretariado Católico do Malaui.

“O Santo Padre está realmente preocupado com esta pandemia mortal que abalou o mundo inteiro. Como gesto de gratidão, continuaremos a rezar por ele”, afirmou agradecido o prelado, pedindo para rezar também pelos enfermos e pelos que morreram de Covid-19.

Ao agradecer ao Papa pela doação, a diretora do Hospital Missionário Likuni, Irmã Agnes Lungu, disse que os ventiladores chegam na hora certa a uma área, os arredores de Lilongwe, que está totalmente desprovida deles.

Malawi, uma das nações mais pobres do mundo, registrou até agora 4.988 casos confirmados de Covid-19, com 2.576 pacientes curados e 156 óbitos.

A Igreja local, graças também às contribuições solidárias do exterior, tem dado passos importantes para oferecer cuidados de saúde por meio de sua rede de hospitais missionários, cujo trabalho é vital em um país onde o sistema público de saúde é absolutamente insuficiente.

Fonte: Vatican News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *