/ NO AR /
(69) 99321-8279
Porto Velho, 7 de dezembro de 2021 - 20h25
Home > Notícias da Igreja > Papa > Proximidade do Papa às vítimas de terremoto na Croácia

Proximidade do Papa às vítimas de terremoto na Croácia

Abalos sísmicos na Croácia provocaram ao menos 7 mortes e muita destruição.

Ouça e compartilhe!

Proximidade aos feridos e oração pelos que perderam a vida e seus familiares. Na Audiência Geral desta quarta-feira, 30, o Papa Francisco dirigiu seu pensamento à Croácia, onde um forte terremoto na terça-feira matou 7 pessoas, deixou inúmeros feridos e provocou muita destruição:

Ontem, um terremoto provocou vítimas e graves danos na Croácia. Expresso minha proximidade aos feridos e a quem foi atingido pelo sisma e rezo em particular por aqueles que perderam a vida e por seus familiares. Faço votos que as autoridades do país, ajudadas pela comunidade internacional, possam logo aliviar os sofrimentos da querida população croata.

O tremor, às 12h19, atingiu a magnitude de 6,3 na escala Richter.O epicentro foi localizado em torno de Petrinja, cerca de cinquenta quilômetros ao sul da capital Zagreb, região já atingida por um terremoto na segunda-feira. As operações de socorro prosseguiram durante toda a noite. Ao menos seis pessoas foram retiradas com vida dos escombros.

Na manhã desta quarta-feira, foram registrados três novos tremores em 14 minutos, com magnitudes de 4,9, 4,8 e 3,9 na Escala Richter e epicentro em Lekenik, proximidades de Petrinja e Sisak.

Mobilização da Igreja local

A reação da Igreja Católica croata foi imediata, colocando-se ao lado da população local. Na terça-feira, o presidente da Conferência Episcopal, Dom Želimir Puljić, lançou um forte apelo de encorajamento e solidariedade pelos microfones da rádio católica nacional: “Quero dizer às pessoas: ‘Estou próximo de vocês!’ E peço a todos os croatas para ficarem ao lado das vítimas do terremoto”. “Coragem! Você não estão sozinhos!”, reiterou o prelado, expressando sua gratidão a todos os socorristas, inclusive aos voluntários, que trabalham para levar socorro às áreas mais atingidas pelo terremoto. “A Providência de Deus – concluiu Dom Puljić – acompanha a história dos homens e das nações. Deus é nossa fortaleza, nosso refúgio; não devemos ter medo, porque o Senhor está conosco e nos acompanhará neste momento difícil”.

No mesmo sentido, o diretor da Caritas croata, Dom Fabijan Svalina, que convidou todos os fiéis e pessoas de boa vontade a “se unirem à ação da Caritas nacional para apoiar o fluxo das atividades por meio de doações em dinheiro, que não servem apenas agora, mas também mais tarde, porque o nosso objetivo é de longo prazo, para que as famílias possam regressar às suas casas”.

O bispo de Požega, Dom Antun Škvorčević, também enviou sacerdotes e fiéis da diocese para rezar e recolher ajudas materiais para as vítimas do terremoto. “Muitas famílias e muitas pessoas tiveram suas casas destruídas, seus entes queridos mortos ou feridos, suas terras devastadas”. Para essa situação são necessárias “compaixão e solidariedade” para “restaurar o que o terremoto destruiu, incluindo locais de culto”.

Dom Škvorčević também anunciou que no próximo domingo, 3 de janeiro, em todas as paróquias da Diocese de Požega, durante as Missas, serãooferecidas orações pelos mortos e feridos no terremoto, bem como por todos aqueles que sofrem suas consequências. As ofertas doadas durante as celebrações serão enviadas à Caritas. Outras coletas serão realizadas em nível de paróquia, envolvendo gêneros de primeira necessidade como alimentos, roupas e kits de limpeza. As paróquias também foram convidadas a oferecer abrigo a quem perdeu sua casa. “Que Deus ofereça conforto e encorajamento a todas as pessoas que vivem em tempos difíceis e encha de alegria e paz o coração de quem dá com alegria”, concluiu o prelado.

Caritas Itália

Caritas Italiana acompanha com preocupação a evolução da situação. Em nota, informa que em contato com a Caritas Croácia está tentando organizar os primeiros socorros junto com as Caritas diocesanas locais, em particular as de Zagreb e Sisak, mas que a falta de eletricidade e as ligações telefônicas instáveis ​​tornam tudo mais difícil.

Grandes áreas de Petrinja e a cidade vizinha de Sisak foram devastadas, e muitos danos foram relatados em Zagreb, em hospitais, creches, lares de idosos, prédios governamentais. Vários prédios religiosos também foram seriamente danificados.

A Croácia já vivia uma situação problemática devido à pandemia. Está em lockdown desde o final de novembro. Até agora foram registrados mais de 4 mil contágios e 90 vítimas a cada dia em uma população de cerca de 4 milhões de habitantes.

A diretora da Caritas diocesana de Sisak, Kristina Radic, declarou que a situação é grave e o bispo de Sisak, Dom Vlado Kosic, lançou um apelo: “Rezemos por todos os que foram atingidos. Procuremos também permanecer unidos nesta tragédia que envolveu toda a Croácia e em particular nossa Diocese de Sisak, assim como estivemos unidos em muitas outras tragédias que afetaram nossa comunidade no passado recente, como a guerra e a pandemia em andamento.”

Fonte: Vatican News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *