Porto Velho, 19 de novembro de 2019
Home > Notícias > Agentes de Educação Ambiental da SEMA esclarecem a responsabilidade da população acerca da destinação do resíduo sólido.

Agentes de Educação Ambiental da SEMA esclarecem a responsabilidade da população acerca da destinação do resíduo sólido.

O Núcleo Ambiental da Sociedade de Portos e Hidrovias do Estado de Rondônia (Soph) em conjunto com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema) realizou na manhã desta quarta-feira, (05), uma palestra sobre a “Política Nacional de Resíduos Sólidos e os desafios para a sua implementação” para os funcionários do Porto de Porto Velho.

Segundo Adirleide Dias, diretora do Departamento de Gestão de Política Pública Ambiental e Mudanças Climáticas, uma rede com 22 instituições foi criada para planejar políticas públicas sobre o meio ambiente com intuito de definir as responsabilidades. “Quando fazemos alguma pesquisa com a população sobre o compromisso e a responsabilidade que cada um tem para com o meio ambiente, tabulamos o resultado de que a culpa é sempre do outro. Ninguém assume a sua parcela e isso vira um ciclo vicioso. A criação dessa rede, propicia o esclarecimento e a definição dos papeis de cada um”, relatou.

Para a agente de Educação Ambiental, Mychelle Fernanda Pinheiro, muito além de conscientizar, é preciso sensibilizar sobre a realidade do município e do Estado. “Não basta destinar os resíduos para o lixão, imaginando apenas que precisa implantar um aterro, sem a devida manutenção, que o problema vai ser resolvido. Precisamos criar formas de reciclar e reduzir o consumo, estimulando o reaproveitamento, a fim de evitar o esgotamento dos recursos naturais e tratar do tema como uma questão de saúde pública”, frisou.

Segundo a agente, cerca de 500 famílias sobrevivem em Porto Velho como catadores e todo o resíduo que é depositado na Vila Princesa poderia ter sido separado antecipadamente. “Atualmente, a empresa que recolhe o lixo, atende 17 bairros para fazer a coleta seletiva, porém, nem todos moradores conhecem os procedimentos corretos para separação do material, uma vez que o maior volume da origem de resíduos sólidos é domiciliar. São cerca de 107 mil toneladas/dia, que representa mais de 60% de outras origens como: entulhos, empresas, particulares e hospitalar”, detalhou Mychelle.

Para o diretor presidente da Soph, Amadeu Hermes Santos da Cruz, cuidar do meio ambiente deve ser uma ação contínua de todos. “Não tratamos aqui de uma questão de conscientização política ou partidária. Precisamos fazer entender e cada vez mais assumir nosso compromisso voltado para o uso do recurso de forma sustentável”, afirmou.

Em seguida, foi realizada uma ação de plantio de mudas frutíferas e ornamentais no mirante do Porto. A programação contempla a Agenda Ambiental da unidade portuária.

Fonte:
Texto: Rafaela Schuindt
Fotos: Rafaela Schuindt
Secom – Governo de Rondônia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *