Porto Velho, 14 de novembro de 2019
Home > Notícias > Cardeal Odilo Scherer representará a CNBB junto ao Celam

Cardeal Odilo Scherer representará a CNBB junto ao Celam

O arcebispo de São Paulo (SP), cardeal Odilo Pedro Scherer, foi eleito na tarde desta quinta-feira, 9 de maio, para ser o representante da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) junto ao Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) no próximo quadriênio.

Dom Odilo Pedro Scherer é gaúcho de Cerro Largo e nasceu em 21 de setembro 1949. Frequentou o seminário menor São José, de Curitiba, de 1963 a 1969, e cursou Filosofia no seminário maior Rainha dos Apóstolos, também em Curitiba, e na Faculdade de Educação da Universidade de Passo Fundo (RS), de 1970 a 1975.

Concluiu os estudos de Teologia na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, em Curitiba. É mestre em Filosofia e Doutor em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma.

Cursou, ainda, Metodologia do Ensino Superior, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, além de aperfeiçoamento da língua alemã no Goethe Institut de Staufen i. Br. (Alemanha), da língua francesa na Universidade de Lyon (França) e da língua inglesa, em Londres (Reino Unido).

Foi reitor e professor no Seminário Diocesano São José, em Cascavel (PR), entre 1977 e 1978, tendo exercido as mesmas funções no Seminário Diocesano Maria, Mãe da Igreja, em Toledo (em 1979 e de 1982 a 1983). Atuou como professor de Filosofia na Faculdade de Ciências Humanas Arnaldo Busatto, em Toledo, de 1980 a 1985, e posteriormente na Universidade Estadual do Oeste do Paraná, também em Toledo, de 1985 a 1994. Lecionou Teologia no Instituto Teológico Paulo VI, de Londrina, em 1985. Foi vigário paroquial e cura da Catedral Cristo Rei, de Toledo, de 1985 a 1988; reitor do Seminário de Teologia de Cascavel, de 1991 a 1992; diretor e professor do Centro Interdiocesano de Teologia de Cascavel, de 1991 a 1993; reitor do Seminário Diocesano Maria Mãe da Igreja, em 1993; membro da Comissão Nacional do Clero da CNBB, de 1985 a 1988; da Comissão Teológica do Regional Sul II, de 1992 a 1993 e oficial da Congregação para os Bispos, na Cúria Romana, entre 1994 e 2001.

Em 28 de novembro de 2001, o Papa João Paulo II o designou bispo auxiliar de São Paulo, sendo que sua posse se deu em março de 2002, papel que desempenhou até 2007. Foi secretário-geral da CNBB, entre 2003 a 2007, e secretário-geral adjunto da V Conferência Geral do Episcopado da Latino-americano, ocorrida em maio de 2007.

Em março do mesmo ano, foi nomeado arcebispo de São Paulo, assumindo, dessa forma, o cargo de Grão-Chanceler da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Em novembro de 2007, foi elevado ao cardinalato pelo Papa Bento XVI.

Em dicastérios vaticanos, é membro da Congregação para o Clero, da Comissão Cardinalícia de Vigilância do Instituto para as Obras de Religiões (IOR), do XII Conselho Ordinário da Secretaria do Sínodo dos Bispos, do Pontifício Conselho para a Família, da Pontifícia Comissão para a América Latina e do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização.

Em março de 2013, participou do Conclave Papal, que elegeu o sucessor de Bento XVI – o Papa Francisco -, tendo sido considerado um dos possíveis candidatos a desempenhar o ministério petrino.

Suplente

Dom Orlando Brantes, arcebispo de Aparecida (SP), foi eleito na tarde desta quinta-feira, 9 de maio, para ser o suplente na representação da CNBB junto ao Celam no próximo quadriênio. “Obrigado queridos irmãos pela confiança. Na proteção da Mãe Aparecida e da Virgem de Guadalupe, eu aceito”, disse.

Nascido em 13 de abril de 1946, em Urubici (SC), ingressou no Seminário João Vianney, de Lages. Em 1968, concluiu Filosofia na UCP, em Curitiba. Depois, fez seus estudos teológicos na Universidade Gregoriana e na Academia Alfonsiana (Roma) especializando-se em Teologia Moral, em 1973.

Mais tarde, recebeu a ordenação sacerdotal em Francisco Beltrão (PR), em 6 de julho de 1974. Foi professor de Teologia Moral e Dogmática no Instituto Teológico de Santa Catarina (Itesc), de 1974 a 1994.

Durante sua caminhada presbiteral, dom Orlando exerceu outros cargos, como os de vice-diretor do Itesc (1974-1982) e diretor (1982-1984), diretor do Seminário Teológico (1987-1987), orientador do Seminário Dom Honorato Piazera (1990-1994) e presidente, vice-presidente e juiz do Tribunal Eclesiástico Regional de Florianópolis.

Foi eleito pelo Papa João Paulo II, no dia 9 de março de 1994, como o terceiro bispo diocesano de Joinville (SC) e escolheu como lema “Somos operários de Deus” (1 Cor 3,9). A ordenação episcopal e posse ocorreram no dia 5 de junho de 1994, na Catedral São Francisco Xavier, na cidade catarinense.

No dia 10 de maio de 2006, o então Papa Bento XVI o nomeou como arcebispo de Londrina. A tomada de posse aconteceu em 23 de julho daquele mesmo ano. Em 16 de novembro de 2016, ele foi nomeado arcebispo de Aparecida (SP).

Fonte: CNBB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *