/ NO AR /
(69) 99321-8279
Porto Velho, 30 de novembro de 2021 - 20h03
Home > Notícias > Pan-Amazônia chega à marca de 100 mil mortes por Covid-19

Pan-Amazônia chega à marca de 100 mil mortes por Covid-19

Nesta segunda-feira (26), a Pan-Amazônia registrou mais de 100 mil mortes por Covid-19. Esse cenário gera profunda tristeza, mas nos une no clamor para que a vacina chegue a todos na Amazônia e que a população se imunize para combater a pandemia de forma integral e permanente.

A Pan-Amazônia ultrapassou nesta segunda-feira, 26 de julho, a marca de 100 mil mortes pela Covid-19, de acordo com os dados oficiais copilados pela Rede Eclesial da Pan-Amazônica – REPAM, em seu Mapa Semanal de Casos de Covid-19. Até o momento, foram registradas 100.037 mortes e 3.500.761 infecções por Covid-19 na região, que inclui os territórios amazônicos de Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname e Venezuela.

O relatório semanal é elaborado desde 17 de março de 2020, quando foram registrados os primeiros 24 casos de infecção e um falecimento.

Clique aqui e acesse o Mapa Semana de Casos de Covid-19 da Pan-Amazônia

Embora os dados coletados sejam oficiais, a REPAM não descarta a possibilidade de subnotificação nos registros de cada um dos países da Pan-Amazônia.

Em 16 meses de pandemia, a população viveu (e continua vivendo) situações muito complexas devido à falta de atenção à saúde adequada, que se agrava em situações dramáticas de falta de atendimento básico – assistência à saúde, saúde, oxigênio, materiais médicos e de biossegurança, garantias básicas para o abastecimento da segurança alimentar da população atingida e entre outras.

Vacinação insuficiente

Ainda há incertezas devido à situação vacinal da população, visto que o número é inferior ao esperado de imunizados. Em termos gerais, podemos descrever duas situações práticas.

A primeira se refere à falta de vacinas suficientes para imunizar a população da Amazônia, demonstrando a relutância e a falta de seriedade da maioria dos governos nacionais em enfrentar a pandemia. Por outro lado, existem certas “campanhas de desinformação” que vão desde a negação da gravidade da pandemia, até muitas mentiras e falsidades que são disseminadas pelo fanatismo político e religioso. Há muitas histórias falsas que estão se generalizando nas comunidades da Amazônia, a ponto de as pessoas se recusarem a se vacinar.

Ambas as situações podem agravar as consequências geradas pela pandemia, uma vez que se veem variantes do vírus que se propagam e são mais perigosas e mortais.

Conscientização

Em memória às milhares de vítimas da Covid-19, a REPAM lança em agosto a campanha de conscientização #VacunaAmazonia, em português #VacinaAmazonia, com o objetivo de sensibilizar para a importância da imunização da população no combate à pandemia de forma permanente.

Comunicação REPAM-Brasil com informações Julio Caldeira, imc, REPAM Communications

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *