Momento da benção do Simbolo do Centenário

A abertura oficial das celebrações do centenário de criação da Igreja particular de Porto Velho aconteceu durante a missa de encerramento da festa de Nossa Senhora Auxiliadora, padroeira do município, no dia 24 de maio.

A partir de agora às comunidades da Igreja particular de Porto Velho passam a vivenciar esse período celebrativo pelos próximos 3 anos. O encerramento será no primeiro Congresso Eucarístico Arquidiocesano, que será realizado em 2025.

Durante todo esse tempo, um quadro vai percorrer todas as paróquias que da Arquidiocese de Porto Velho. É o símbolo da celebração deste centenária que contém o logotipo do centenário, a imagem da Catedral do Sagrado Coração de Jesus e ao redor, fotografia de todas as paróquias que compõe a atual Arquidiocese, além de um punhado de terra de lugares significativos de cada região que foi abençoado por Dom Roque.

Essa preparação terá dois momentos especiais. Os dois primeiros anos são para concretizar uma ação missionária que deve acontecer em cada paróquia.

“Já houve a formação geral, agora a formação será feita nas comunidades e nas paróquias; e ano que vem, visita em todos os lugares. Nesse período, vamos fazer memória de uma igreja que sempre esteve ao lado dos pobres. Agora é colocar em prática a missão, e também divulgar todo o material que foi preparado” diz padre Geraldo Siqueira, coordenador de pastoral da Arquidiocese.

O tema “Testemunhar fé e vida na Amazônia”, combinado com o lema “Sede minhas testemunhas, até os confins da terra“ (citação de Atos 1,8), a organização das celebrações quer dar ênfase à unidade e comunhão, em um momento de agradecimento pela caminha até aqui.

O comprometimento com a continuação da caminhada também será enfatizado, como forma de manter fidelidade à Palavra de Deus.

 “Celebrar os cem anos é olhar para traz com gratidão. Com o coração agradecido pelos caminhos percorridos pelos homens e mulheres daqui dessa região, e de outros que vieram para anunciar e proclamar o Reino. É também, para nos colocarmos na trilha e na disposição de continuar caminhando na fidelidade à Palavra de Deus, à Cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo e a Cruz dos crucificados de hoje. É caminhar anunciando que é possível viver a fraternidade dos filhos e filhas do mesmo Pai, e testemunhar a esperança e a caridade no nosso dia a dia”, diz dom Roque Paloschi, arcebispo de Porto Velho.

Explicação do logotipo do centenário

O logotipo coloca em destaque o centenário da Arquidiocese de Porto velho, simbolizado no número 100.

Este número assume as cores azul e amarelo que são as cores da bandeira de Porto velho. Além disso, a cor azul é a cor Mariana e também a cor da espiritualidade e da Igreja. No lugar do simples amarelo, optamos pelo dourado que simboliza luz, calor e é a cor do jubileu.

O número 1 traz em si a silhueta de Nossa Senhora Auxiliadora, padroeira da cidade. A representação gráfica de três estrelas, ao mesmo tempo em que recordam Maria, estrela da Evangelização, faz menção à Tradição cristã que as associa às três Marias que visitaram o túmulo de Jesus na ressurreição. E, sendo três, também representam a Trindade. Por fim, o número 1 traz o Espirito Santo e seus sete dons que dão origem a Igreja e sua missão.

O primeiro zero traz representações gráficas da vida de fé da Igreja de Porto Velho. Os trilhos que recordam as origens da cidade, dos imigrantes e migrantes. A Catedral do Sagrado Coração de Jesus no centro. O trigo, a Palavra, o peixe e a cruz que recordam a fé do povo e a presença da Igreja. Este primeiro zero está circulado pela frase: “Testemunhar fé”.

O segundo zero traz representações gráficas de povos indígenas e ribeirinhos, o tronco de uma seringueira recorda os seringueiros e extrativistas de Rondônia. O açaí, as águas e as aves, simbolizando que a missão acontece nesta terra amazônica. Por esse motivo, o segundo zero está circulado pela frase: “vida na Amazônia”.

O lema: “Sede minhas testemunhas, até os confins da terra” (At 1,8) faz a ligação entre os números dando continuidade ao tema.

A base do logotipo é formada por desenho tribal muito característico da região, separando o ano de nascimento 1825, do ano de jubileu: 2025.

Símbolo do centenário – Grande quadro

O grande quadro (Símbolo do Centenário) é composto:

Ao cento, o logotipo dos 100 anos e a imagem da Catedral do Sagrado Coração de Jesus, e ao redor fotografia de todas as paróquias que compõe a atual Arquidiocese de Porto Velho, além de um punhado de terra de lugares significativos de cada região.

Oração para a celebração do centenário da Igreja particular de Porto Velho/RO

Bendito sejais, ó Deus, Pai de ternura!

Nós vos agradecemos porque vosso Filho Jesus, ungido pelo Espírito Santo, escolheu e enviou discípulos para anunciarem o Reino do amor, da justiça e da paz.

Nós vos bendizemos pela vossa presença em meio aos povos indígenas, seringueiros, extrativistas, ribeirinhos, quilombolas, migrantes e em meio aos agentes de pastorais, mulheres e homens, testemunhas do Reino, missionários de ontem e de hoje.

Animados pelo Evangelho e pela solidariedade que brota da Eucaristia, somos chamados a formar comunidades eclesiais missionárias neste chão sagrado da Amazônia, regado com o sangue de tantos mártires.

Neste tempo da “graça do Senhor”, tendo como horizonte o centenário da nossa Igreja, celebramos a vida, a fé e a esperança.

Ajudai-nos a caminhar de forma sinodal como Igreja missionária, samaritana, amiga da criação e defensora da vida.

Isto vos pedimos, ó Pai, em nome de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, na unidade do Espírito Santo. Amém!

Nossa Senhora Auxiliadora, Mãe das vocações, rogai por nós e por todos.

Hino do centenário 

Letra: Pe. José Antônio de Oliveira

Música: Jhonatan Lopes da Silva

1. Esta terra da Amazônia,

No chão nosso de Rondônia

Há cem anos viu brotar

Em Porto Velho a Igreja

Que cresceu e só deseja

Fé e vida semear.

Ref.: Testemunhas da fé nós seremos

Na Amazônia e em todos os cantos.

Numa Igreja em saída nós cremos;

Ser fermento de vida nós vamos.

2. Te louvamos, Deus ternura

Que a nós, tuas criaturas

Escolheste e nos chamaste

Pra testemunhar no mundo

Teu amor, lindo e profundo,

A justiça que ensinaste.

3. Nós, de perto, e os mais distantes

Nós, indígenas, migrantes,

Seringueiros, ribeirinhos,

Quilombolas, os pequenos,

Testemunhas, sim, seremos

De tua paz, do teu carinho.

4. Vamos ser Igreja viva,

Sinodal, comprometida,

Na unidade e comunhão;

Ser sinais da esperança,

Povo alegre da Aliança,

Defensor da Criação.

5. Nestas terras onde mártires,

Missionários e agentes

Semearam fé e cruz,

Com a Mãe Auxiliadora

Nossa Igreja servidora

Vai testemunhar Jesus.

Por: Pascom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar Mensagem
Estamos Online
Rádio Caiari
Olá 👋
Como podemos ajudar?