/ NO AR /
(69) 99321-8279
Porto Velho, 28 de novembro de 2021 - 19h27
Home > Notícias > PALAVRA DO DIA > PALAVRA DO DIA

PALAVRA DO DIA

LEITURA DO DIA

Leitura do Primeiro Livro dos Macabeus (1Mc 4,36-37.52-59)

Naqueles, Judas e seus irmãos disseram: “Nossos inimigos foram esmagados. Vamos purificar o lugar santo e reconsagrá-lo”. Todo o exército então se reuniu e subiu ao monte Sião. No vigésimo quinto dia do nono mês, chamado Casleu, do ano cento e quarenta e oito, levantaram-se ao romper da aurora e ofereceram um sacrifício conforme a Lei, sobre o novo altar dos holocaustos que haviam construído. O altar foi novamente consagrado ao som de cânticos, acompanhados de cítaras, harpas e címbalos, na mesma época do ano e no mesmo dia em que os pagãos o haviam profanado. Todo o povo prostrou-se com o rosto em terra para adorar e louvar a Deus que lhes tinha dado um feliz triunfo. Durante oito dias, celebraram a dedicação do altar, oferecendo com alegria holocaustos e sacrifícios de comunhão e de louvor. Ornaram com coroas de ouro e pequenos escudos a fachada do templo. Reconstruíram as entradas e os alojamentos, nos quais puseram portas. Grande alegria tomou conta do povo, pois fora reparado o ultraje infligido pelos pagãos. De comum acordo com os irmãos e toda a assembleia de Israel, Judas determinou que os dias da dedicação do altar fossem celebrados anualmente com alegres festejos, no tempo exato, durante oito dias, a partir do dia vinte e cinco do mês de Casleu.

EVANGELHO DO DIA

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas (Lc 19,45-48)

Naquele tempo, Jesus entrou no Templo e começou a expulsar os vendedores. E disse: “Está escrito: ‘Minha casa será casa de oração’. No entanto, vós fizestes dela um antro de ladrões”. Jesus ensinava todos os dias no Templo. Os sumos sacerdotes, os mestres da Lei e os notáveis do povo procuravam modo de matá-lo. Mas não sabiam o que fazer, porque o povo todo ficava fascinado quando ouvia Jesus falar.

PALAVRAS DO SANTO PADRE

“Os chefes do Templo, os chefes dos sacerdotes”, diz o Evangelho, “e os escribas tinham mudado um pouco as coisas. Eles tinham entrado em um processo de degradação e tinham sujado o Templo. Tinham sujado o Templo! O Templo é um ícone da Igreja. A Igreja sempre – sempre! – sofrerá a tentação da mundanidade e a tentação de um poder que não é o poder que Jesus Cristo quer para ela! Jesus não diz: ‘Não, não se faz isso. Faça-o lá fora”. Diz: ‘Aqui vocês fizeram um antro de ladrões!’ E quando a Igreja entra neste processo de degradação, o fim é muito feio. Muito feio”! (Santa Marta, 20 de novembro de 2015)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *